segunda-feira, fevereiro 14, 2005

Amor...

"Amo-te... Porquê?, não sei, não encontro razões para esta verdade (...). Amo-te, só isso tudo... Amo-te sem medo de amar... Talvez, porque de repente, além de seres o fundo do meu pensamento, não existe mais nada para mim... Porque, ao olhar-te, do teu ser irrompem bandas de melodias entrelaçando-se numa só, de tal harmonia que me leva em feitiço a qualquer sítio onde me queiras levar; por seres tu o verso do meu mundo concebido por ti apenas por estarmos, agora ao meu lado, e por sentir sob o olhar a água de todos os oceanos, só porque te vejo; e sobre as tuas mãos o mundo, um mundo sem peso, e na tua boca a perdição e o encontro, o reencontro e a perdição, o paraíso a cada piscar de olhos, um céu que se apaga e se acende em gotas de estrelas desenhando eternidade com os traços de nós os dois... Amo-te porque quando me beijas adormeces-me o corpo e quando me tocas estremeces-me-lo com essas carícias nascidas de pontes dos teus dedos, instigados por esse teu mesmo sentir igual ao meu. Porque quando sonho, não sonho contigo, mas com os dois, enfeitiçados, correndo incansáveis pelas intermináveis planícies do nosso planeta amar... Porque, se desaparecesses, o meu espírito, afogar-se-ia numa tristeza muito maior que o sentido que me vive, e, ao invés, sinto-me inatingível, imortal... Amo-te só por te amar, não é para perceber, é assim, tão simples quanto isso, porque me atinge o corpo de cima abaixo uma energia criada por ti, que me faz viver mais, rir, pensar alegria, pensar só em ti onde quer que eu esteja. Mas tudo isso é já tão pouco, porque há muito que o meu sentimento se desprendeu das palavras para se fazer no ingrediente final do indizível... É isso... Amo-te, porque a amar-te só eu. Sou só eu..."
CARLOS CANTO MONIZ - AZUL

4 comentários:

Anónimo Veneziano disse...

Complementar a nossa sempiterna descoberta sentimental através das coincidentes
palavras dos outros, é a simples prova que o amor é um bem universal. Há sempre
um lado de lá à espera de alguém, e quando esse alguém chega é como se a razão
das estrelas fosse a celebração desse momento...

Anónimo disse...

É o amor não tem razões,ele apenas acontece...aqui está um texto que expressa bem a simplicidade do amor.
Sexta-feira,3 de junho,20005

Anónimo disse...

alem do "Azul" so o veneziano poderia escrever algo parecido... mas parabens ao autor,por este texto lindo,aqui mostra a profundidade do que e o verdadeiro "Amor" e a voce muitos parabens por ter escolhido este texto para seu blog
MAR

Anónimo disse...

Este AZUL ,esteve ou está muito apaixonado para escrever este texto.muitos parabens e existam muitos azuis...parabens ao amor.